COPA DO MUNDO

É impressionante como esse evento mobiliza e contagia as pessoas.

Gostando ou não de futebol, particularmente, eu nem gosto muito e nem tão pouco entendo, como por exemplo, nunca compreendi o que é estar “impedido” rsss…

Já nascemos torcendo para algum time, que herdamos do pai, da mãe ou dos avós.

Independente de classe social, raça, religião ou opinião política, é um acontecimento em que todos se unem em prol de um único objetivo: torcer para o seu país!

Temos muitos problemas e muita pobreza, mas é fato também, que a maioria dos jogadores encontrou nessa profissão a única oportunidade, e por ser um esporte popular, é também a “garantia” de diversão de muitos brasileiros.

Antes de iniciar os jogos confesso que não estava muito entusiasmada, eu, e muitos, que diante de tantas coisas ruins acontecendo no nosso país em várias áreas: saúde, educação, segurança, e a corrupção que se espalha como uma doença, enfim, tudo isso nos faz desacreditar e desanimar…

Mas, basta iniciar os jogos para o envolvimento acontecer:

A emoção de todos cantando o hino nacional.

A alegria de um gol!

A comemoração da galera!

A comoção da torcida!

Todos vestindo as cores do nosso país…

Como disse, não entendo nada de futebol, mas, como psicóloga e profissional de recursos humanos, é muito bacana observar o quanto a razão x emoção influencia no andamento e resultado do jogo, como é legal ver os momentos de garra e superação!

Além de ser uma competição envolvente, também tem muito para nos ensinar em vários aspectos comportamentais: liderança, trabalho em equipe, motivação, inteligência emocional, agilidade, proatividade, flexibilidade, respeito, etc

E, por tudo isso, mesmo estando longe de ser  um país “politicamente” perfeito, temos que reconhecer que o futebol é sim uma PAIXÃO nacional…

Bora Brasil!

Esse texto foi postado no dia do jogo das quartas de finais contra a Bélgica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *