SÃO JOÃO

O mês de junho é marcado pelas conhecidas festas juninas…

Desde criança aprendemos a curtir essa festa: dançando quadrilha nas escolas (dancei muito). Lembro-me dos ensaios e das apresentações, com os vestidos coloridos, cheio de babados, o chapéu de palha, trança no cabelo e o rosto com um blush bem rosa com pintinhas pretas.

São muita recordações…

Uma das coisas que mais gostava dessa época eram os balões. Ia a campeonatos e achava lindo demais.

Outra lembrança boa, era o da minha avó e tias fazendo pamonha. Era um dia todo de preparo e muito trabalho: uma limpava o milho, outra ralava e assim ia o dia todo, até a melhor hora que era quando ficavam prontos, e comíamos quentinha com café coado na hora. Ohh tempo bão!

Sem contar, todas as outras comidas típicas deliciosas, ao som de um forrózinho pé de serra…

O tempo passa, e volto a viver esse ritual com os filhos. E ano após ano, sempre surge uma festa: na escola, com amigos ou na empresa.

Vim morar em Salvador, e só no nordeste, pude entender a importância e significado dessa festa, onde para muitas pessoas é melhor que o carnaval.

Por aqui, não se chama Festa Junina, e sim Festa de São João;

o amendoim é cozido (a primeira vez que comi estranhei, e depois amei e viciei);

a canjica é mugunzá;

e o curau é canjica;

a bebida da época não é quentão nem vinho quente, e sim licor.

O dia 24 de junho é feriado, e pra muitos a véspera também.

Quem é da cidade, curte a festa no interior, e assim como no Natal, famílias e amigos se reunem, ao redor de uma mesa farta, fogueira acesa e muitos fogos para comemorar o dia, aliás, outra coisa que me chamou atenção foi o comércio de fogos.

E assim como no dia 25 de dezembro desejamos Feliz Natal, no nordeste dia 24 de junho desejamos Feliz São João!

E assim seja…

São João, São João, acenda a fogueira do meu coração!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *