SOBRE O BEM E O MAL

Apesar de tantas notícias tristes e difíceis dessa semana, e do momento “difícil” que estamos enfrentando no Brasil, existem mensagens e atitudes que devemos nos orgulhar e que nos fazem acreditar que juntos, podemos mudar muita coisa.

Foi emocionante ver as pessoas se unirem pra salvar a baleia que estava encalhada na praia de Búzios e as cenas de solidariedade diante das tragédias que aconteceram na minha linda Bahia e no Pará.

Aí me lembrei desse texto, que escrevi quando aconteceu o acidente com o avião do time da Chapecoense:

Quando eu era criança, aprendi que o bem vence o mal… que existe sempre um final feliz, e que no fim tudo dá certo.
Quando adulta, vi muitas vezes o mal sobrepor o bem, o errado ao certo, o ódio ao amor…
Para o mundo que eu quero descer!
De repente, diante de uma tragédia, percebemos e sentimos a solidariedade, o amor ao próximo, um mundo sem fronteiras, muitas pessoas canalizando boa energia e uma onda gigante de amor.
Aí, aquele sentimento esquecido volta. O bem sim vence o mal e juntos somos mais fortes!

Não é uma visão romântica, é real!
Num momento de tantas coisas ruins, pessoas egoístas, egocêntricas, maldosas, violentas, imorais…
De repente um sopro de esperança (do verde da Chape), eles não são a maioria…
O bem vence o mal…
O amor vence o ódio…
Juntos somos mais fortes!

Se o bem e o mal existem, você pode escolher…

É preciso saber viver!

Roberto Carlos

AMIGOS

Irmãos escolhidos por Deus

Irmãos de alma

Irmãos que a vida nos dá!

Tudo isso é verdade, e como é bom ter amigos, pessoas que a gente passa a amar de coração e não por laços de “sangue”.

Muitas pessoas passam por nossa vida, mas, algumas ficam, não necessariamente por afinidade, mas, por algum motivo especial, simplesmente ficam. Acredito que isso seja Amizade!

Pessoas que marcam e completam nossa vida, com momentos que fizeram nossa história, e que ficarão pra sempre na nossa memória…

Existem amigos de longe, de perto, de infância, da maturidade ou até da 3ª. Idade…

Amigos que ficam sem se ver, ou até sem se falar, mas, que estão ali, guardados num lugar muito especial, e que de alguma forma a gente sabe que pode contar e onde encontrar.

Assim, são os amigos! São eternos!

Amigo a gente não cobra, não exige, não pede pra mudar, a gente simplesmente aceita, do jeito que é…

Com amigos a gente briga, às vezes fica sem se falar, dá um tempo…mas, deixar de amar??? Jamais!

Amizade não se explica…Ela simplesmente existe!

Tenho amigos

Tenho 40!

VIROSE

Hoje em dia “tudo é virose”!

Semana passada, minha filha começou a sentir um incômodo na barriga durante o dia, e a noite veio a diarreia,  vômito, e assim ficou durante algumas horas.

Como mãe experiente que sou, comecei a dar o Pedyalite (soro) e fiquei acompanhando.

No dia seguinte estava melhor. Cuidados com a alimentação, muito líquido e se recuperou.

Essa semana (segunda-feira) foi à vez do Lucas, os mesmos sintomas, porém, foi ao médico, tomou soro injetável e fez exame de sangue. Diagnóstico? VIROSE.

Foi receitado Plasil para o enjoo e Floratil para diarreia…

Também, controlou a alimentação e 2 dias depois estava melhor.

Hoje, quinta-feira, antes de ir pra  escola, a Malu disse que não estava se sentindo bem: diarreia novamente…

Insisti pra que tentasse ir à escola, e no caminho, sentiu-se mal, vomitou e voltamos pra casa.

Agora, é acompanhar pra ver a evolução, e se não melhorar levar ao médico.

Não sou daquelas que leva ao hospital por qualquer “sintoma”, é frustrante ouvir dos médicos sempre o mesmo diagnóstico, além de ficar horas esperando pra ser atendida e suscetível a ficar ainda mais doente…Mas, como não sou médica (apesar de achar que toda mãe é meio médica), e nem maluca, se em 24 horas não apresentar melhoras, me rendo e corro para um médico.

Afinal, o que é virose? Toda doença provocada por um vírus.

Onde estão os vírus e como posso pegar? Em qualquer lugar, no contato com pessoas.

É possível evitar o contato com pessoas? NÃO.

O que fazer? Cuidados com a alimentação, água, higiene e muita oração…rss

PAI – Início, Meio e Fim…

Minha mãe diz, que quando eu era bebê, meu pai era um super protetor, que só faltava me colocar numa redoma.

Da minha infância, tenho muitas boas lembranças…

Meu pai nunca foi de demonstrar carinho com toque, beijos e abraços, mas, do jeito dele, demonstrava seu amor…

Não fui criada com nenhum luxo, e nunca senti falta, tinha tudo que queria, e depois de adulta passei a valorizar todos os “pequenos” grandes gestos feitos por ele.

Nunca faltou o presente de Natal, de aniversário, dia das crianças.

1 vez por ano, nas férias, era “sagrado” nos levar ao Playcenter e ao Zoológico, 1 vez por ano, dava dinheiro pra minha mãe comprar roupas e sapatos pra nós..

Eu sonhava com uma caloi cross…Meu pai, participou de um concurso do Yakult e ganhou a minha bicicleta…Aliás, não tínhamos guloseimas na geladeira, mas não faltava o yakult diário.

Meu pai tinha muitas habilidades manuais, tudo que resolvia fazer, não se cansava até concluir. Fez um curso de eletrônica à distância, e montou uma TV e um rádio que deixava na cozinha.

Entendia de marcenaria, engenharia, elétrica, hidráulica…era realmente um SUPER HOMEM!

Na adolescência, as coisas se complicaram. Fui uma adolescente rebelde: contestava, discutia, queria ser independente, meu relacionamento com meu pai era horrível, até que, com quase 20 anos, tivemos uma briga terrível e saí de casa.

Fui morar com minha tia, e, como comecei a trabalhar com 16 anos, conseguia me virar.

Fiquei sem falar com meu pai por 2 anos, e, durante esse tempo, trabalhei, fiz cursinho pré-vestibular, comecei a namorar com o pai do Lucas, e, no meu noivado, voltamos a nos falar.

Logo depois, entrei na faculdade de Psicologia, claro, contrariando meu pai, que como bom militar, queria que eu fizesse Direito, mas, não exitou em comprar meu anel e álbum de formatura.

Em pouco tempo estava estagiando, e durante esse período engravidei.

Morri de medo de contar para meu pai, mas me surpreendi positivamente com sua reação, que com o seu jeito prático só pensava em uma forma de ajudar, e demonstrou estar feliz com a notícia de ser avô.

A partir daquele momento, conheci o pai/avô. Ele foi um super avô, me ajudou muito com o Lucas: cuidava, buscava na escola, nunca esqueceu um aniversário, esteve sempre muito presente na infância do meu filhote.

O tempo passou, eu me formei, me separei, casei novamente, tive outra filha, e meu pai, sempre esteve presente…Me sentia segura em saber que estava por perto, e tinha certeza que poderia contar com ele em qualquer circunstância.

Me mudei pra Salvador, meu irmão, que morava com meu pai também se casou, então ele resolveu ir morar no interior de SP.

Caramba, passou um filme na minha cabeça: como meu pai me ajudou nos piores e melhores momentos da minha vida!

De repente, a vida nos prega uma surpresa infeliz: um câncer, implacável e agressivo atingiu meu pai.

De repente, vi medo no olhar do Homem mais corajoso que eu conheci.

De repente, vi frágil o Homem mais forte do mundo.

Enquanto estava doente, estive com ele uma única vez, e foi terrível ver meu Pai enfraquecendo…

Voltei pra Salvador, e não estive com meu pai nos seus último dias. A doença o levou muito rápido.

Priorizei o trabalho, os filhos, achei que ia dar tempo…MAS NÃO DEU!

Não costumo me arrepender de quase nada, mas, se me perguntassem do que mais me arrependo? É de não ter largado tudo para ficar com meu pai nos seus últimos dias de vida.

Eu nunca vou me esquecer do seu último olhar…

Nunca vou me esquecer da sua força…

Nunca vou me esquecer do quanto foi correto, justo, trabalhador, teimoso, cuidadoso…

Como diz a música do Fábio Jr: Você foi meu herói e meu bandido, foi mais que um amigo, sem vc me sinto sozinha…https://www.letras.mus.br/fabio-jr/45856/

Te amo meu pai!

Sinto saudade…

Até breve!

 

ALIMENTAÇÃO SEM CARNE

Semana passada postei um texto sobre “Escolhas”, porque estou num momento muito reflexivo sobre o que eu quero pra minha vida, sobre como quero envelhecer, sobre o que é importante, etc…

Ontem, tomei uma decisão e iniciei uma nova experiência sobre minha alimentação: quero eliminar a carne das minhas refeições.

Não foi uma decisão tomada de uma hora pra outra, tenho lido muito à respeito e conversado com pessoas que fizeram essa escolha, mas, pra que dê certo, não quero radicalizar.

Vou começar tirando do cardápio as carnes vermelhas, e sentir o reflexo dessa mudança no meu corpo.

A meta é de 1 mês sem carne vermelha, mas, com o objetivo de eliminá-la definitivamente das minhas refeições, e, quem sabe num futuro breve as carnes brancas.

O mais difícil pra mim será com peixe, mas, vamos com calma..

Nunca digo pra sempre, e nem quero me forçar a nada, mas, estou sentindo necessidade e vontade de fazer essa experiência.

Vamos ver como me saio, afinal,  tenho 2 “carnívoros” em casa, e vai ser difícil adaptar o cardápio. Ontem mesmo, fizeram um churrasquinho, e resisti “bravamente”!

Essa decisão / opção, não é com objetivo de emagrecer, mas sim, por consciência e melhores escolhas para meu corpo, afinal, alimento é vida!

Por mais consciência…

Por melhores escolhas…

Por mais saúde!

 

ESCOLHAS

A vida é feita de escolhas, e somos reflexo das nossas escolhas…

Arriscar faz parte da vida…

Toda escolha traz uma consequência…

Viver é achar o equilíbrio entre as escolhas e consequências!

Devemos estar preparados para as consequências, porque qualquer escolha tem 50% de chance de dar certo e 50% de chance de dar errado.

Muitas vezes, entre muitas opções, temos que escolher apenas uma…

E como fazer a melhor escolha?

Alguns fatores como, desconhecimento, falta de tempo ou imaturidade podem influenciar na decisão, ou, simplesmente, o fato de escolher pela razão ou emoção.

E como conviver com o “SE” tivesse feito outra escolha?

Não é fácil escolher a profissão, religião, o marido/esposa, amigos…

Claro, que podemos sempre reavaliar e mudar a rota, afinal, ninguém é o mesmo pra sempre. Mas, a escolha de mudar também não é nada fácil.

Então, se sou livre pra fazer minhas escolhas, se as consequências são minhas e se a vida é minha…

Que seja pelo que me faz FELIZ! Vou mudar a rota quantas vezes forem necessárias!

Tenho escolhas!

Tenho 40!

“Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri no caminho incerto da vida, que o mais importante é decidir!”

Cora Coralina